Crie uma conta e participe!

Segundo estimativas, de cada 100 escravizados que partiam da África para o Brasil, 55 acabavam morrendo durante a viagem!?!?

6 votos positivos 0 votos negativos
38 visitas
perguntou 14 Jan em Debates e opiniões por (usuário cadastrado) Nível 8 (149,592 pontos)
Após a chegada dos europeus no continente americano, calculasse que ao menos 10 milhões de escravizados africanos foram trazidos da África para o continente americano ao longo de séculos. 

40% desse volume (aproximadamente 4 milhões) tinham como destino a América Portuguesa (Brasil). A maior parte dos escravizados que partiam para a América Portuguesa tinham origem na Angola, Congo e Moçambique. 

A viagem dos escravizados de Angola (na costa do Oceano Atlântico da África) para o Brasil durava entre 33 a 43 dias. 

A viajem dos escravizados de Moçambique (na costa do Oceano Índico na África) chegava a durar até 76 dias. Essa era a mais mortífera pelo fato da viagem levar bem mais tempo.

Se a cada 100 escravizados africanos que partiam para o Brasil morriam 55 pelo caminho, imagine o saldo total de mortos???

É ou não é um genocídio o que aconteceu em águas do Atlântico???

6 Respostas

1 voto positivo 0 votos negativos
respondida 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (220,041 pontos)
 
Melhor resposta

Uai...
Pensei que você ia citar o texto sobre os tubarões que acompanhavam os navios negreiros de Portugal... Quando li o livro do Laurentino, essa passagem me deixou espantadíssima...

“Saíram da África 12 milhões e meio de seres humanos. Chegaram 10 milhões e 700 mil. Morreram na travessia 1 milhão e 800 mil pessoas. Se dividir isso pelo número de dias, dá 14 cadáveres, em média, lançados ao mar todos os dias ao longo de 350 anos. Um número tão alto que, segundo depoimentos da época, isso mudou o comportamento dos cardumes de tubarões no Oceano Atlântico, que passaram a seguir os navios negreiros”.

comentou 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (149,592 pontos)
Em qual livro ele cita essa passagem? 

Estou lendo o 1808, sobre a Transferência da Corte Portuguesa para o Brasil, estou no capítulo “Escravidão”. 

Eu fiquei impressionado sobre como as autoridades cariocas da época repreendiam quem punissem escravos em praças públicas, algo comum no Rio antes da chegada da corte portuguesa, as autoridades consideravam que essas imagens eram “indignas” para uma cidade que abrigava uma coroa européia, por isso os castigos deveriam ser feito em locais particulares dos proprietários de escravos, distantes dos olhos da população. 
comentou 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (220,041 pontos)
Ele falou sobre isso em duas ocasiões, no livro "1889" e depois mais detidamente em um livro intitulado "Escravidão", que foi escrito depois da publicação de "1889"...

Ele deu uma declaração sobre isso no programa "Conversa com Bial", que você pode ver aqui: 
https://globoplay.globo.com/v/8097935/?s=0s

A questão sobre mortalidade está no trecho 4, que no site está com uma chamada assim: "Laurentino conta sobre os dados de mortalidade". Tenho certeza que o conteúdo é gratuito, porque eu não sou assinante GloboPlay e tenho acesso... Mas talvez você tenha de fazer um cadastro no GloboPlay.
comentou 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (149,592 pontos)
Ah que triste essa fala sobre os suicídios enquanto as terras africanas eram visíveis. 

Essa passagem ele não cita no 1808 (pelo não até onde eu li, ainda falta alguns capítulos para o término da leitura). 

Comprei recentemente a trilogia (1808, 1822 e 1889). Estou chegando já no final do 1808, quando terminar, lerei os demais. 

Enquanto eu lia no 1808 sobre como foi sofrida a viagem da corte e nobreza portuguesas ao Brasil, só imaginava então como eram as viagens dos navios negreiros. 
1 voto positivo 0 votos negativos
respondida 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 9 (836,610 pontos)
A escravidão foi um dos episódios mais perversos da história brasileira, durou 3 séculos( talvez até mais) e até hoje deixa marcas negativas na sociedade brasileira. Muitos escravos durante a viagem morriam de banzo que era uma perturbação psicológica, o sentimento de melancolia de sair forçados de suas terras e também a perda da liberdade.
0 votos positivos 0 votos negativos
respondida 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (149,592 pontos)
A maior parte das mortes ocorriam devido às condições insalubres dos navios negros e ao tratamento desumano a que eram submetidos os escravizados, muitos morriam por doenças e desnutrição. Os constantes naufrágios das embarcações também causavam milhares de mortes. 

Quando chegavam no Brasil, os sobreviventes passavam por uma “quarentena” para se recuperar fisicamente da viagem antes de serem colocados a venda. 
1 voto positivo 0 votos negativos
respondida 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (346,713 pontos)
Pois é... Assisti um documentário de um grupo de africanos que conseguiram assumir o controle do navio e obrigar a tripulação a levarem eles de volta pra África mas acabou em outra aventura e muitos perderam a vida. Depois te mando...
1 voto positivo 0 votos negativos
respondida 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (327,143 pontos)

Eu já tinha lido algo sobre isto no livro deste autor que fala especificamente da escravidão. Agora imagine a escravidão transatlântica somada a escravidão árabe-muçulmana. Na segunda, cerca de 75% dos homens e 40% das crianças não sobreviviam ao processo de castração, imposta principalmente aos homens.


Abraço.

comentou 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (149,592 pontos)
No Brasil também teve a escravidão indígena, só que essa é bem menos trabalhada pela academia nacional. 
comentou 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (327,143 pontos)

Sim.....

comentou 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (220,041 pontos)
Evaldo Cabral de Melo Neto em "O Negócio do Brasil" defende a tese de que a escravidão indígena não foi à frente no Brasil porque Portugal não queria fomentar atividades econômicos que não dependessem da Coroa. 

Assim, a escravidão de africanos era preferível porque implicava um investimento (e consequentemente um retorno) que a Coroa poderia monopolizar legalmente e controlar efetivamente, ao passo que escravidão de indígenas podia ser implementada com investimento baixo na própria dinâmica da colônia (sem depender da metrópole).

Segundo Melo Neto, a opção pela escravidão de africanos foi um mero negócio. Uma das consequências foi a falta de escrúpulos no processo de dizimar os índios completamente. Índios eram mortos, não escravizados.
comentou 14 Jan por (usuário cadastrado) Nível 8 (327,143 pontos)

Agora que você citou, acho que vi isto é, algum lugar. Não sei se em alguma citação sua ou em um livro mesmo. (este do Evaldo ainda não li)


Dizem que a questão do desterro é algo que ajuda a quebrar a resistência também. Os índios eram mais insubmissos que os africanos.


Não tenho certeza, mas acho que foi na obra do John Manuel Monteiro chamada "Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo".


A Igreja Católica também dava uma atenção maior em particular aos indígenas também.

0 votos positivos 0 votos negativos
respondida 16 Jan por (usuário cadastrado) Nível 10 (1,199,823 pontos)
Sim, vi na novela escrava mãe acontecer isso 

Perguntas relacionadas

2 votos positivos 0 votos negativos
1 resposta 27 visitas
5 votos positivos 0 votos negativos
4 respostas 45 visitas
112 Online
8 Usuários 104 Visitantes
Usuários conectados
(usuário cadastrado)-(usuário cadastrado)-(usuário cadastrado)-(usuário cadastrado)-(usuário cadastrado)-(usuário cadastrado)-(usuário cadastrado)-(usuário cadastrado)
...